Blog

Sem categoria

Hora do Banho: dicas valiosas para o banho do bebê

O primeiro banho do bebê em casa é um momento muito gostoso, mas também pode deixar a mamãe e o papai de primeira viagem inseguros. Por isso, trouxemos este texto bem objetivo e com dicas preciosas pra você.

Primeiro, você sabia que o banho do bebê não precisa ser diário? Isso com o intuito de preservar a estrutura frágil e imatura da pele do bebê. Porém, a higiene da face e da área de troca de fraldas deve ser realizada diariamente.

Mas vamos lá! Chegou a hora do primeiro banho do bebê, o que eu devo fazer?

  • Primeiro defina se o banho será no quarto ou no banheiro. Isso é muito individual, mas quando o bebê é mais novinho, principalmente no primeiro mês de vida, o banho no quarto fica mais fácil e com menos risco de diminuir a temperatura do bebê, já que está tudo bem a mão.
  • Lembre-se de preparar tudo antes do banho, por exemplo, confira se o ambiente está protegido contra as correntes de ar.
  • Separe as roupinhas do bebê e organize as peças no trocador, na mesma ordem em que o bebê irá vesti-las.
  • A banheira deve estar próxima ao trocador.
  • Prepare a água do banho, que deve ser morna. Não há necessidade de se utilizar água fervida para o banho. Verifique a temperatura da água usando a região anterior do seu antebraço.
  • O nível da água na banheira deve atingir a altura do umbigo do bebê. (pouca água esfria rápido e o bebê fica com frio e muita água torna o banho mais difícil).
  • Deixe o sabonete próximo a banheira, assim como a toalha, deixe-a aberta.
  • Retire a roupa do bebê e a fralda, limpe a região genital com água morna e algodão, antes de colocá-la na banheira.
  • Mergulhe o bebê na água vagarosamente, segurando-o pela axila e apoiando sempre as costas e o pescoço. Com a mão livre, lave primeiro a face, depois a cabeça, tórax, braços, barriga, pernas e genitais. Depois as costas e o bumbum. Pode virar o bebê na banheira para lavar o dorso. Lembre de lavar o coto umbilical com água e sabão.
  • Coloque o bebê sobre a toalha aberta e o enxugue delicadamente. Inicie pela cabeça e face, desça pelo corpo, enxugue atrás das orelhinhas, nas dobrinhas e entre os dedinhos. Vista o bebê por camadas e se atente para não colocar excesso de roupas.
  • Nos primeiros meses de vida não é recomendado o uso de xampu ou colônias para a higiene do bebê, pois podem desencadear alergias.

Um beijo enorme e até o próximo post! Espero que tenha ajudado!

Cintia

Fonte: einstein.br

Vem pro site: http://www.lojabbcoruja.com.br

Instagram: @bbcorujaoficial

Sem categoria

É Festa Junina! Que tal brincar na sua casa com as crianças? elas vão amar!

Época boa para cultivar as tradições, reunir a família e os amigos, saborear comidas típicas e música boa, que aquecem o coração!

A criançada vai se animar muito com as brincadeiras que trouxemos aqui pra vocês. São brincadeiras simples, e você pode usar materiais reciclados pra preparar algumas delas, incentivando o cuidado com o planeta e evitando o desperdício!

Muito legal, né?!

A inspiração das brincadeiras são do site https://www.decorfacil.com/brincadeiras-de-festa-junina/ , e aqui deixo os devidos créditos.

São brincadeiras muito simples, divertidas e as crianças vão amar, já posso imaginar aqui! Confere só, se não é gosto de infância boa:

1. Pescaria

A pescaria é aquela brincadeira clássica que não pode faltar em nenhuma festa junina. É simples e divertida.

Para montar uma pescaria você vai precisar de uma caixa grande de papelão ou algum outro recipiente grande que sirva para colocar os peixinhos.

Em seguida, recorte peixinhos de papelão (de preferência um papelão bem grosso que resista ao tempo da brincadeira).

Marque um número em cada peixinho (pode ser na parte de trás ou no rabinho). Os números servem para indicar a prenda que o jogador irá receber. Na boca de cada peixinho coloque uma argola.

Feito isso, distribua os peixinhos na caixa com areia. Faça varinhas de pescar( pode ser com gravetos) e coloque na ponta de cada uma delas um fio de nylon com ganchinho ( ou um barbante e um cliples na ponta preso com durex).

O objetivo é “pescar” os peixinhos e conquistar a prenda desejada.

2. Tomba Lata

A brincadeira de tomba lata é outro clássico que não pode ficar de fora do arraiá. O objetivo dessa brincadeira é derrubar o maior número de latas possível ou todas elas.

Para montar a brincadeira você vai precisar de latas (refrigerante, milho, massa de tomate, achocolatado) que possam ser empilhadas. Quanto mais latas, mais desafiadora fica a brincadeira.

Depois é só formar uma pirâmide com elas, entregar uma bola na mão de cada jogador e esperar para ver quem derruba mais latas.

Você pode colocar areia, grãos de arroz ou feijão dentro das latas para deixá-las mais pesadas e aumentar o nível de dificuldade da brincadeira.

As prendas podem ser distribuídas de acordo com a quantidade de latas derrubadas.

3. Argolas

A brincadeira das argolas é muito tradicional também e todo mundo pode participar, testando habilidades de arremesso.

Para criar essa brincadeira você vai precisar de algumas garrafas e argolas, que podem ser de plástico ou feitas com garrafa pet revestida de jornal. As argolas só não podem ser muito leves, ok?

Depois é só fazer algumas fichas com números e colocar embaixo das garrafas para determinar os prêmios. Quanto mais argolas a pessoa conseguir acertar nas garrafas, mais prendas ela ganha.

4. Correio Elegante

O correio elegante é uma forma romântica e delicada de enviar recadinhos amorosos e apaixonados para aquela pessoa especial.

Para fazer o correio elegante, separe uma cesta bem bonita e faça cartãozinhos. Depois é só sair pela festa oferecendo o serviço de correio elegante. Lembre-se de levar uma caneta para que a pessoa possa escrever o recado.

Em seguida, basta entregar o cartão para a pessoa indicada no campo “para”.

5. Pau de Sebo

A brincadeira do Pau de Sebo é uma das mais desafiadoras e divertidas da festa junina. Muito popular no nordeste, essa brincadeira consiste em fincar um tronco alto no chão e untá-lo com sebo animal, deixando-o bem escorregadio.

No topo do pau de sebo deve ser colocado o prêmio, geralmente uma quantia em dinheiro. O objetivo é ver quem consegue chegar até o topo sem escorregar.

6. Corrida do Saco

A corrida do saco é aquela brincadeira que levanta o astral da festa. Para fazer é muito simples: basta providenciar sacos de estopa (vale pedir na padaria ou em outro comércio perto de casa) e distribuir para os participantes.

Depois é só pedir para os participantes “vestirem” os sacos e se posicionarem na linha de largada.

Ao final, distribua prendas para os que chegarem em primeiro, segundo e terceiro lugar.

7. Ovo na colher

A brincadeira do ovo na colher pode ser bem tensa, especialmente se o ovo em questão estiver cru.

A ideia é que os jogadores consigam atravessar uma distância pré-determinada equilibrando um ovo na colher. Mas com um detalhe: o cabo da colher deve estar na boca.

Ganha a brincadeira quem conseguir terminar o trajeto sem derrubar o ovo no chão. Se quiser evitar bagunça e sujeira, cozinhe o ovo antes. Outra possibilidade é usar bolinhas de ping pong no lugar do ovo.

8. Dança das cadeiras

A dança das cadeiras é perfeita para tirar todo mundo do sofá. Para isso, libere espaço e distribua as cadeiras formando um circulo. Mas para que a brincadeira dê certo o número de cadeiras deve ser menor do que o número de participantes. Ou seja, se dez pessoas forem participar da brincadeira, você deve colocar apenas nove cadeiras no espaço.

Em seguida, coloque uma música bem dançante para tocar e peça para os jogadores andarem em torno das cadeiras com as mãos para trás. Na hora que a música parar eles devem se sentar. Quem não conseguir se sentar, sai da brincadeira e leva uma cadeira junto.

Ganha quem conseguir sentar na última cadeira.

9. Boca do palhaço

Outro grande clássico das brincadeiras de festa junina é a boca do palhaço. Para fazer essa brincadeira você vai precisar de uma superfície lisa e grande, como uma grande chapa compensada de madeira, papelão ou EVA. Depois é só desenhar um palhaço e no lugar da boca deixar um buraco.

O objetivo da brincadeira é acertar bolinhas dentro da boca do palhaço. Cada pessoa tem direito a cinco arremessos e se acertar algum, ganha uma prenda.

10. Pula Fogueira

Pular fogueira é uma das brincadeiras mais típicas da festa junina. Como o próprio nome sugere, essa brincadeira consiste em pular sobre a fogueira, sem pisar ou cair sobre ela.

Só que isso pode ser um tanto quanto perigoso. Por isso, a sugestão é fazer uma fogueira de mentirinha usando papel celofane.

Daí é só chamar todo mundo para pular por cima da fogueira.

11. Rabo no burro

Que tal agora brincar de colocar o rabo no burro? Essa brincadeira é bem simples, mas garante boas risadas.

O objetivo é conseguir colocar o rabo no burro de olhos vendados. Para isso, cole na parede o desenho de um burrinho sem o rabo e faça, à parte, um rabo de papel ou tecido. Na ponta desse rabinho, coloque uma tachinha, velcro ou adesivo. Depois é só vendar os participantes e ver quem consegue colocar o rabo no burro.

12. Bingo

Quem nunca brincou de bingo em quermesse de festa junina? Essa brincadeira super tradicional também é uma boa pedida para descontrair e divertir os amigos, além, é claro, de ser uma chance de conquistar algumas prendas.

Para fazer o bingo, tenha em mãos cartelas e bolinhas numeradas e um saco ou globo para misturar as bolinhas.

13. Cadeia

A cadeia é uma brincadeira muito legal para trolar os amigos. Para essa brincadeira você vai precisar de um espaço onde possa prender alguém (um cômodo vazio ou até mesmo uma grande caixa de papelão).

Escolha alguém da festa para ser o carcereiro e ficar responsável por prender e soltar as pessoas.

Mas atenção: para que a pessoa seja solta ela precisa pagar uma prenda ou uma quantia de dinheiro ou então esperar que outra pessoa pague por ela.

14. Quebra pote

A brincadeira do quebra pote consiste em um pote de barro recheado de doces e outras guloseimas que deve ser colocado a uma certa distância dos jogadores. Cada um recebe uma pedra para atirar no pote.

O objetivo é quebrar o pote e correr para ver quem consegue pegar mais doces. 

15. Corrida do saci

A corrida do saci é muito parecida com a corrida de saco, só que com uma diferença: deve ser feita em uma perna só.

Aqui você também tem a opção de usar ou não os sacos.

16. Cabo de guerra

Quer uma brincadeira para animar geral? Então a dica é apostar no cabo de guerra. Não existe limite de participantes, nem de idade. Todo mundo pode brincar junto.

Para fazer o cabo de guerra você vai precisar de apenas uma corda resistente. Depois é só dividir a galera toda em duas equipes e fazer uma linha no chão para determinar a área de cada uma.

O objetivo da brincadeira é ver quem consegue trazer a outra equipe para o campo adversário. 

17. Corrida de três pés

A corrida de três pés também é garantia de muita risada e descontração na festa junina. Para fazer a brincadeira você vai precisar dividir os participantes em duplas. Em seguida, amarre a perna direita de um dos participantes na perna esquerda do outro. Eles vão ficar unidos, como se realmente tivessem três pernas, e deverão correr juntos, sem cair.

Depois é só dar a largada. A dupla que conseguir chegar primeiro ganha. 

18. Dança da laranja

A dança da laranja é um clássico. Muito simples e fácil de fazer, essa brincadeira exige apenas laranjas e uma música bem animada aos fundos.

Divida os participantes em duplas e peça para eles equilibrarem uma laranja entre a testa. Eles deverão dançar assim, sem deixar a laranja cair no chão.

19. Acerte o alvo

Acerte o alvo ou tiro ao alvo é uma brincadeira bem popular nas quermesses juninas. A ideia aqui também é simples: o jogador precisa acertar um alvo para ganhar a prenda.

Para isso, você pode disponibilizar arminhas de brinquedo ou bolinhas (vale até um estilingue). 

20. Corrida de sapatos

Uma brincadeira divertida e super legal é a corrida de sapatos. Você vai precisar apenas dos sapatos dos participantes para fazer essa brincadeira.

Ela funciona assim: todo mundo deve tirar os sapatos e colocá-los em um monte. Depois, deve-se formar duas filas que representam as duas equipes.

Em seguida, um participante de cada lado da fila deve correr para o 

monte, achar o próprio sapato e calcá-lo. A fileira que concluir a tarefa primeiro ganha.

21. Maça na água

Se tem festa junina, tem que ter a brincadeira da maça na água. Muito divertida e um tanto quanto desafiadora, essa brincadeira consiste em descobrir quem vai conseguir abocanhar a maçã primeiro.

Basta encher uma bacia grande com água e colocar algumas maçãs. Os participantes terão que pegar a maçã com a boca, sem usar as mãos. 

22. Corrida da bexiga

Outra brincadeira divertida para a festa junina é a corrida da bexiga. A ideia aqui é uma corrida de duplas onde a bexiga deve ser colocada na lateral do corpo dos participantes. Juntos, eles precisarão correr sem deixar a bexiga estourar ou cair no chão.

23. Passa chapéu

A brincadeira do passa chapéu é um misto entre passa anel e batata quente. Aqui, os participantes devem formar um circulo e, ao som da música, precisam ir passando o chapéu de mãos em mãos. O participante que estiver segurando o chapéu na hora que a música parar deve sair da brincadeira. 

24. Barraca do beijo

A barraca do beijo é uma atração muito popular nas quermesses juninas que tem objetivo de arrecadar dinheiro.

Para fazer uma você vai precisar de uma barraquinha e dois voluntários (geralmente um homem e uma mulher).

As pessoas da festa compram uma ficha e, assim, ganham o direito de dar um beijinho na pessoa que está na barraca.

25. Dança da vassoura

Outra brincadeira clássica para a lista: a dança das vassouras. Para organizar a brincadeira, pegue uma vassoura, coloque uma música para tocar e chame todo mundo para dançar. Uma pessoa deve ficar sem par e dançar com a vassoura. Quando a música parar, ela escolhe alguém para entregar a vassoura e, assim, fica com o parceiro ou parceira dessa pessoa.

26. Fotos divertidas

A festa junina pode e deve acompanhar os tempos modernos. Por isso, não deixe de animar a festa com plaquinhas e um painel divertido, onde os convidados podem fazer fotos engraçadas para as redes sociais. 

27. Cara na farinha

Que tal agora chamar todo mundo para brincar com a cara na farinha? Essa brincadeira é bem descontraída, mas faz uma certa bagunça. Por isso, é bom organizá-la em uma área externa.

Pegue pratos e encha com farinha de trigo. Depois coloque anéis (ou outro objeto pequeno) em cada um dos pratos. Com as mãos para trás, os participantes devem tentar encontrar o anel com a boca. Quem achar primeiro, vence a brincadeira. 

28. Corrida de carrinho de mão

A corrida de carrinho de mão, ao contrário do que você pode pensar, não é feita com aqueles carrinhos de pedreiro, apenas com pessoas. Como? Basta formar duplas. Uma das pessoas fica em pé e segura a outra pelos pés. Essa pessoa que estiver sendo segurada pelos pés deve caminhar com as palmas das mãos, como se fosse, de fato, um carrinho. Quem chegar primeiro, ganha.

29. Roleta

A roleta é uma brincadeira muito divertida, especialmente para quem gosta de combinar bebida alcoólica com jogos. Você vai precisar de uma roleta e prendas (pode ser doses de bebidas também). Cada jogador escolhe um número. Se a bolinha cair no número certo ou aproximado, a pessoa ganha. Caso contrário, ela deve beber uma dose.

30. Prenda no chapéu

A brincadeira da prenda no chapéu é bem simples e fácil. Tenha em mãos vários chapéus, uns dez mais ou menos, e dentro de cada um deles coloque uma prenda.

Na parte superior do chapéu marque um número. Peça para o participante sortear um número dentro de um pote ou saquinho. A pessoa receberá a prenda indicada pelo número sorteado.

E aí, tem bastante opção né! Diversão garantida! Depois conta pra gente qual brincadeira você gostou mais! beijo e até a próxima,

Cintia/lojabbcoruja

site: https://www.lojabbcoruja.com.br

instagram: @bbcorujabh

Sem categoria

Contato pele a pele (contato imediato) mãe e bebê

O bebê nasce com a capacidade de procurar o peito, reconhecê-lo e aproximar-se dele. Antes mesmo de cortar o cordão umbilical, quando o bebê é colocado sobre o corpo nu de sua mãe, procura o peito e começa a mamar. O cheiro é seu principal guia e resulta nesta conduta instintiva por parte do bebê.

A separação do bebê logo após o parto é suficiente para que muitos recém nascidos não consigam encontrar o peito ou não mamem na posição correta, desencadeando problemas de sucção.

Alguns estudiosos demonstraram que os bebês em contato pele a pele com suas mães têm a temperatura e a glicemia mais altas (mesmo que não tenham mamado); menor frequência respiratória (menos estresse) e choram muito menos que os que estão em um berço.

Os recém nascidos são propensos à hipotermia porque não conseguem produzir suficiente calor endógeno e necessitam de uma fonte externa de calor ( a mãe). Imediatamente depois do parto, seca-se o bebê com uma toalha (para diminuir o esfriamento por evaporação) e ele é colocado nu sobre sua mãe nua. Ambos são tapados com um cobertor. Pode-se colocar um gorrinho no bebê para evitar a perda de calor pela cabeça. É claro que a temperatura da sala de parto deve ser a adequada para o conforto da mãe e do filho. O teste de Apgar e a identificação (pulseira, impressão plantar…) são realizados com o bebê sobre a mãe.

Fonte: Manual Prático de Aleitamento Materno

Dr. Carlos Gonzales

Sem categoria

Primeiro Passeio do Bebê

O que é importante saber sobre o primeiro passeio do bebê?

Se você é mamãe de primeira viagem, é provável que tenha dúvidas sobre este momento, então a gente preparou um texto bem legal pra você ficar bem preparada e relaxar neste momento!

A maior parte dos pediatras orienta evitar os passeios com o bebê antes dos 2 meses de vida, até porque, nesta fase, a gente acaba tendo que sair bastante com o bebê para ajustes na mamada, visitas ao pediatra, ao posto de saúde para teste do pezinho e vacinas, teste da orelhinha, etc. Então, a recomendação da maior parte dos pediatras é sair pra passear depois dos 5 meses de idade, quando a imunidade está mais desenvolvida. Mas porquê?

No primeiro mês de vida do bebê, até os 28 dias de vida, ele é considerado recém nascido. Nesta fase, principalmente nos primeiros dias, o bebê está se acostumando ainda com a vida extra-uterina, e essa transição do útero para o mundo exterior pode ser o mais aconchegante possível, sem muito barulho, luzes, pessoas….é preciso dar um tempo, que é muito individual, pra que a mamãe e o bebê se adaptem a nova fase. Como diziam as vovós, que não recomendavam sair antes de o bebê fazer 1 mês de vida, e muitos nem podiam receber visitas, não é mesmo? Bom, além disso é importante saber da questão da imunidade do bebê, veja:

“A recomendação existe porque o sistema imunológico dos pequenos não está completamente treinado para ter contato com certos microorganismos. Essas bactérias e vírus são transmitidas até pelo ar, então apenas evitar que o bebê tenha contato direto com outras pessoas não é eficiente para protegê-lo nessa fase. “Infecções comuns em crianças maiores, como gripes e resfriados, podem ser devastadoras em bebês pequenos, levando a possíveis quadros graves e internações hospitalares”, detalha a pediatra. O maior risco de o bebê entrar em contato com esses microorganismos está em ambientes frequentados por muitas pessoas, principalmente se forem locais fechados, como os shoppings centers, festas de família, por exemplo.

Em casa, a chance é menor, mas a visita ainda pede cuidados. O ideal é que os locais que o recém-nascido frequenta não receba pessoas com gripe ou sintomas como congestão nasal e espirros. Também é importante que o pequeno não fique passando de colo em colo, pois isso aumenta a exposição a esses perigos invisíveis.

De acordo com a pediatra, a poluição das grandes cidades é mais um fator para adiar o primeiro passeio dos pequenos. Ela é nociva para todos, mas consegue ser ainda pior para quem acabou de nascer.

O sol, por sua vez, não é inimigo. Mesmo os recém-nascidos podem receber banhos de sol logo após chegarem em casa, segundo a pediatra. O ideal é que eles durem de 5 a 10 minutos e aconteçam antes das 10h e após as 16h.”

Mas como preparar para o primeiro passeio?

Quando o momento chegar, é importante deixar tudo pronto antes, com calma. Na bolsa do bebê, deve haver todo o material de higiene que você já usa no dia a dia com ele. Além dos itens necessários para a troca, como fraldas, algodão, água e trocador portátil, os pais devem lembrar que, na rua, o clima e a umidade do ambiente são mais instáveis. Por isso, a pediatra recomenda sempre andar com soro fisiológico para o nariz do bebê e as roupinhas adequadas para as temperaturas com que a família pode se deparar durante o dia. Uma mantinha ou cueiro também ajudam muito.

“Programação e previsibilidade é uma grande estratégia para um passeio seguro, saudável e sem surpresas desagradáveis”, resume.

Outro cuidado muito importante é com relação ao transporte. No carro, a cadeirinha deve estar na posição mais adequada, deixe a cadeirinha ajustada antecipadamente, siga as recomendações de segurança.

Se o passeio for com o carrinho de bebê, faça os ajustes de segurança antecipadamente, teste o manejo do carrinho em casa e começe com passeios curtos nas primeiras vezes.

Curta o passeio, se preparando antes vai ser uma delícia e você vai poder aproveitar bastante!

Um beijo enorme,

Cintia/lojabbcoruja

Já conhece nosso site? Vem ver: http://www.lojabbcoruja.com.br

Instagram: @bbcorujaoficial

Sem categoria

Dicas pra você comprar as roupas certas de inverno pro bebê!

Inverno chegando, hora de se preparar pra ter as roupinhas do bebê prontinhas pra ele usar e assim garantir que ele fique bem agasalhado, confortável e protegido.

O bebê ainda vai nascer? Nasce na estação mais fria do ano? Então, vem ver todas as coisas que você precisa saber pra fazer a escolha certa do enxoval!

O mais importante quando a gente vai comprar a roupinha do bebê e da criança nesta época de outono e inverno é pensar em um produto que traga conforto e o mantenha quentinho. Isso porque o bebê e as crianças gostam de brincar, estão sempre se movimentando e desenvolvendo e a roupa deve permitir que eles cresçam com os movimentos livres, com tranquilidade e segurança.

Atente-se ao tecido:

A roupa do bebê e o enxoval devem assegurar o conforto e a segurança. Como?

O material mais indicado na composição dos tecidos usados na confecção de peças pros bebês e crianças têm o algodão como principal.

O algodão tem vários benefícios, como evita alergias, mantem a temperatura corporal, permite que o bebê transpire.

Assim, opte por peças que são 100% algodão ou que tenham na sua composição a maior parte em algodão.

Os tecidos mais usados na confecção de roupas de bebê no inverno e que são quentinhas e os bebês amam são:

  • soft: é a mais quentinha de todas, super macia, usada em macacões e conjuntos de casaco e calça, além de cobertores. Também conhecido como microsoft. É composto 100% em poliéster, e é uma escolha muito frequente das mamães porque é muito quentinho e tem um toque muito macio. O ideal é você usar um body manga curta ou manga longa debaixo deste macacão.
  • plush: muito usada para os bebês recem nascidos em macacões e conjuntos de casaco e calça. É um tecido macio de textura e aparência aveludada. A composição do plush é de 80% algodão e 20% poliéster.
  • moletinho: é oriundo do algodão. Aparentemente lembra o moletom, mas é constituido de fios mais leves e que são mais molinhos e refrescantes.
  • suedine: é uma malha 100% algodão muito usada na confecção de body, calças, etc. Também conhecida como malha fio 40/1 penteado. Destaca-se pelo caimento e conforto ao toque.

Nesta estação mais fria, use os acessórios como touca, luva e meia ou sapatinho, principalmente no primeiro mês de vida do bebê.

Sobre as lãs: não são muito recomendadas porque costumam reter mais poeira e podem causar alergias. Se você quiser usar, procure saber se o fio é em algodão e use sempre um body de algodão manga longa por baixo, para evitar o contato direto com a pele.

Como na estação outono-inverno varia muito a temperatura, tendo dias muitas vezes quentes e noites mais frias, uma dica é usar um body manga longa e uma calça quentinha e colocar um casaco por cima. Assim , se esquentar você pode tirar o casaquinho. E se esfriar você coloca, super prático.

Outra coisa importante: a roupa do bebê tem que ser fácil de vestir e tirar, sem enfeites ou acessórios que possam soltar.

E durante a noite, como agasalhar bem o bebê pra dormir?

As noites são mais frias e para o bebê se manter aquecido e confortável para dormir tranquilo, coloque o body manga longa e a calça e um macacão por cima ou use o macacão em soft.

Se for usar manta para cobrir o bebê, cubra da barriga pra baixo, para evitar acidentes.

O melhor é não cobrir o bebê, e se o bebê estiver com uma roupa quentinha.

Outra ideia é usar o saco de dormir.

Até os 6 meses de idade você pode ter em mente uma dica simples e útil: vista o bebê em camadas. O ideal é que ele tenha uma camada a mais de roupas que os adultos. Se a mamãe está vestindo uma camiseta, o bebê deve vestir uma peça de manga longa. Se a mamãe já está de manga longa, o bebê deve usar um casaquinho a mais.

Gostou?!

A gente fez com muito amor pra você!

Compartilha com as amigas!

Beijo, Cintia.

Sem categoria

Preciso comprar meia pro bebê?

Oi, meninas, tudo bem?!

Hoje vamos falar sobre meia de bebê!

Vamos lá:

Porque comprar meias pro bebê?

A meia pode ser uma opção para complementar a roupa no lugar do sapatinho. Também pode ser usada junto com o sapatinho e neste caso, opte por uma meia mais fininha porque o conforto é a nossa prioridade, né?!

Uma razão das mais importantes pra comprar meia pro bebê é a temperatura ambiente. Se o seu bebê nascer no outono e principalmente no inverno, ele vai precisar de meais pra proteger os pezinhos e as mãozinhas também.

O bebê, principalmente o prematuro, mas também no bebê a termo, nos primeiros meses de vida têm uma dificuldade pra manter a temperatura corporal, isso porque o controle termoregulatório dele ainda não está totalmente desenvolvido. Assim, ele perde calor mais facilmente, ainda mais na região da cabeça, mãos e pés. E precisa de estar mais aquecido nestas regiões pra se manter quentinho, na temperatura ideal.

Então, se o seu bebê for prematuro ou estiver nos primeiros dias de vida, use meias sim, e até as luvinhas e touca.

Porque não olhar só preço e beleza?

Olha essa dica! é importante você olhar por dentro da meia do bebê pra evitar acidentes com os dedinhos. Pode haver fios ou linhas dentro da meia e elas enroscarem nos dedinhos do bebê causando lesões, irritação e dor. Pra evitar isso, olhe por dentro de cada meia, se tiver algum fio ou linha, basta você cortar rente ao forro da meia e assim fica tudo certo!

Até quantos meses posso colocar luvinha e meia no meu bebê?

Em vez de você colocar cobertor, manta e panos pra aquecer o bebê durante a noite, e mesmo durante o dia, opte por agasalhá-lo primeiro com meia, lua e touca. A luvinha não deve ser usada o dia todo, porque o bebê precisa ter contato com as mãos, sugar as mãos, descobrir as mãos e brincar com elas, mas aquecer o bebê com touca, luva e meia evita muitos panos principalmente no berço e assim você fica mais tranquila, lembre-se que o ideal é o bebê ficar sem nada dentro do berço durante o sono, a não ser que você esteja atenta a ele.

A partir de quando o bebê tem a temperatura do corpo controlada como a de um adulto?

A partir de 1 mês de vida, o bebê tem a temperatura corporal bem próxima a de um adulto. A mão e o pé frio é normal porque a microcirculação do bebê ainda não está toda formada e assim, a temperatura é mais fria nestas regiões. Isso não significa que o bebê está com frio!

A maneira correta de conferir a temperatura corporal do bebê é colocar a mão sobre a região do tórax do bebê. Se ele estiver com a temperatura corporal mais baixa, coloque meia sim!

Meia é sempre recomendada na estação fria! assim como para as crianças e nós, adultos, pra manter os pés protegidos e quentinhos!

Vem ver as meias da lojabbcoruja!

O melhor produto pro seu bebê com o melhor preço pra você, é aqui!

http://www.lojabbcoruja.com.br

Siga a gente nas redes sociais: @bbcorujaoficial

Sem categoria

Dicas para evitar rachaduras nos seios durante a amamentação

As rachaduras nos mamilos costumam acontecer no início da amamentação, e causam muita dor, além de acabar favorecendo a decisão de interromper a amamentação.

E como a gente pode evitar que elas aconteçam? Com informação! Então, o que são as rachaduras e por que elas acontecem?

As rachaduras nos mamilos são pequenas fissuras geradas pelo atrito durante a amamentação; são também chamadas de fissuras mamárias e podem ser definidas como a ruptura do tecido epitelial que cobre a papila mamária (mamilo). Essas rupturas levam a mulher a sentir dor nos mamilos, e essas lesões podem até sangrar.

Entre as causas da fissura mamária, a principal  é a pega incorreta do bebê no momento da amamentação, o que merece atenção e cuidado, pra que não continue esse ciclo de pega incorreta, dor, ferida.

Normalmente, essas rachaduras desaparecem em poucos dias após o início de alguns cuidados especiais, e nós vamos falar sobre eles aqui, mas é aconselhável, caso essas feridas aconteçam, que você procure ajuda especializada, normalmente em bancos de leite ou centros de amamentação, para que esse ciclo não continue e você recupere o mamilo sem precisar deixar de amamentar.

Outras causas são uso de acessórios inadequados durante a amamentação; amamentar com o seio muito cheio; má posição do bebê, posição inadequada da mãe, entre outros.

Independente do motivo, as soluções que poderão ajudá-la são bastante simples.

Alguns cuidados que podem te ajudar a evitar rachaduras nos mamilos são:

  1. Ofereça o seio ao bebê na primeira hora de vida, na sala de parto. Isso favorece a descida do leite e a pega correta do bebê, por estimular hormônios, como a ocitocina.

2. Faça uma ordenha manual antes da mamada, para esvaziar a região do mamilo, e assim facilitar a pega do bebê. A ordenha é realizada inicialmente com um massagem com movimentos circulares e suaves, da região próxima a aréola até a região da mama, neste momento você deve realizar a ordenha até sentir que o bico do seio está livre e fácil para o bebê abocanhar. Realize uma ordenha antes de toda mamada, até que o bebê e você estejam familiarizados com a amamentação, ou sempre que o seio estiver muito cheio de leite.

3. Evite o uso de cremes e óleos

Apesar de os cremes e óleos vegetais proporcionarem alívio e um aspecto de resolução imediata, essas não são opções indicadas para resolver o problema de forma definitiva. Algumas mães chegam a passar até pomadas nos mamilos, mas elas não são indicadas em caso de rachaduras.

O motivo é a necessidade de deixar que o corpo se recupere sozinho. A rachadura, de certa forma, é uma ferida que precisa ser cicatrizada e não a falta de hidratação no local, como muitos pensam. Então, o ideal é deixar a área o mais seca possível para que o corpo faça o processo de regeneração sozinho. Nosso corpo é mais poderoso do que você imagina!

Além disso, qualquer substância colocada no mamilo pode ser tóxica para o bebê. Então, é importante tomar cuidado e não aplicar qualquer produto sem orientação médica.

4. Lave apenas o necessário

Da mesma forma que é importante evitar óleos e cremes, você também deve evitar a lavagem em excesso dessa região. Além de garantir que o mamilo fique seco na maior parte do tempo possível, você também evita que a região perca a proteção natural.

É importante fazer a higienização durante o banho e logo após a amamentação, mas não é necessário lavar o seio com qualquer produto diferente nos demais momentos do dia.

Veja a recomendação da Fundação Oswaldo Cruz sobre a higiene dos seios:

Lavar o seio só com água: seios e mamilos devem ser lavados apenas com água, sem o uso de sabonetes ou cremes. Os mamilos têm uma hidratação natural que deve ser mantida durante a gravidez. Por isso, quando são usados sabonetes ou cremes, essa hidratação é removida, aumentando o risco de rachaduras nos mamilos. Existem pequenas glândulas localizadas na aréola que produzem secreção sebácea que protegem a pele para a amamentação.Fundação Oswaldo Cruz

Aproveitamos e colocamos aqui também a Cartilha de Promoção a Amamentação, com várias informações que podem te ajudar.

5. Posição da mãe e do bebê

A sua posição deve ser confortável, então, escolha um local tranquilo para amamentar. Já deixe por perto a almofada de amamentação ou outra almofada para auxiliar no descanso do seu braço. Posicione-se relaxada.

A posição na qual o bebê deve permanecer durante a amamentação também faz toda diferença no resultado das rachaduras do mamilo.

Encoste o bico do peito na boca do bebê, para ele virar a cabeça e pegar o peito (reflexo da busca), ele sozinho sabe como fazer isto.

Leve o bebê ao peito e não o peito ao bebê.

Segure o peito com o polegar da mão acima da aréola e o indicador e a palma da mão abaixo. Isto facilita a “pega” adequada.

Observe se o seu filho ou filha está fazendo a famosa “boca de peixinho”. Seus lábios devem estar virados para a fora e a boquinha deve estar bastante aberta. O ideal é que a boca dele consiga tapar praticamente toda a aréola da mãe durante todo o período em que a sucção acontece.

Além disso, observe a posição da cabeça, pois ela deve estar de uma forma em que o queixo da criança fique encostado na mama.

É importante lembrar que essa posição da cabeça e da boca também vão ajudar na facilidade de sucção por parte do bebê.

Mas nós vamos falar mais sobre a posição da mãe e do bebê, e da pega correta em outro post!

Lembre: amamentar é puro amor. Você vai ter muito prazer com a amamentação. O início requer atenção, mas não precisa ser sofrido. A informação adequada pode garantir uma amamentação tranquila e feliz, desde o início. O seu leite é vida!

Estamos juntas para que seja um sucesso!

Um abraço,

Cintia/lojabbcoruja

Siga a gente nas redes sociais:

Instagram: @bbcorujaoficial

Fanpage: bbcoruja

Site: http://www.lojabbcoruja.com.br

Sem categoria

Apojadura: descida do leite

Amamentar é um ato de amor

Como estimular a produção e descida do leite?

A amamentação é um momento de troca de amor único entre mãe e filho, mas que não deve ser romantizado, pois no início, costuma ser difícil para a mamãe, causar incômodo e desconforto, principalmente no primeiro mês, além da ansiedade que também aparece em meio a tantos cuidados e demandas com o bebê. Por isto é importante, durante a gestação, procurar muita informação de qualidade e também deixar preparada uma rede de apoio para os primeiros dias com o bebê em casa.

Por isso e sabendo da importância da amamentação, temos que dar atenção ao preparo da mama para o início da produção do leite, diminuindo o desconforto.

Assim, temos como recomendação tornar essa primeira experiência da mãe com seu bebê mais prazerosa, favorecendo o contato pele a pele na primeira hora pós-parto, na sala de parto, visto que não somente se inicia a prática alimentar do bebê, mas também se estabelece o vínculo afetivo entre mãe e filho, essencial para o desenvolvimento socioafetivo da criança. “É neste contato pele a pele, entre mãe e bebê, na primeira hora pós-parto, que acontece o maior estímulo à amamentação. Esse contato ainda ajuda a manter o bebê aquecido, regulando a frequência cardíaca e a respiração”, explica Maíra Domingues Bernardes Silva, enfermeira pediátrica do Banco de Leite Humano do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz).

Segundo Maíra Domingues, o contato pele a pele imediato e contínuo na primeira hora após o parto estimula o início da amamentação e ajuda na contração do útero, diminuindo o risco de hemorragia pós-parto. “Estudos apontam que o contato pele a pele na primeira hora de vida é importante para aumentar a duração do aleitamento materno e reduzir a mortalidade neonatal”.

Mas vamos esclarecer algumas dúvidas comuns neste início da descida do leite.

 Primeiro, o que é a apojadura:

Apojadura é o preparo da mama para a produção de leite que, geralmente, acontece até cinco dias após o parto. Neste período, as mamas ficam maiores e bem cheias, por igual, e algumas vezes quentes. É normal haver um pequeno fluxo de leite, começando a descer em forma de gotinhas, que é suficiente para o bebê ficar satisfeito.

 O que é colostro e o que ele tem a ver com a apojadura?

O primeiro leite que sai, pós apojadura, é chamado de colostro e tem o papel principal de proteção do recém-nascido, pois contêm vários anticorpos, sendo conhecido como a primeira vacina. Essas características permanecem até o 7º dia pós-parto.

Já no quarto, a equipe de saúde pode ajudar a mãe a interpretar os sinais de fome do bebê (como gemidos, lambida na mão e agitação), e se ele mostrar interesse em mamar, a equipe de saúde deve auxiliar a mãe a adotar uma posição confortável, para que o bebê possa fazer uma pega eficaz. “São nessas primeiras 24 horas que a mãe pode ter algumas dificuldades em colocar o bebê para mamar, por isso é importante a ajuda da equipe de saúde nesse momento”, esclareceu a enfermeira pediátrica.

Como identificar a apojadura?

É bastante comum confundir a apojadura com outros problemas que podem ocorrer nos seios da mãe, como o ingurgitamento mamário, que surge quando a pega do bebê está errada, então o bebê não consegue sugar todo o leite, e esta retenção de leite na mama gera o que conhecemos como leite “empedrado”.

“Geralmente, a apojadura acontece até cinco dias após o parto – o que pode variar em função da quantidade de estímulo que a mama recebeu. A mãe que amamenta em livre demanda tende a acelerar a descida do leite, isto é, a apojadura acontece logo e é rápida”, apontou Maíra Domingues.

Como ou quando a quantidade de leite vai aumentar?

A mãe vai precisar da ajuda do bebê para isso, pois quanto mais ele sugar, maior o estímulo na produção e mais rápida e com maior volume será a descida do leite. “Por isso, indicamos não levar para a maternidade chupetas, mamadeiras e/ou bicos de silicone, pois todos esses acessórios podem prejudicar o início, o sucesso e a duração da amamentação”, recomendou Maíra.

“Caso as mamas estejam muito cheias, a mãe pode realizar massagens com a mão espalmada em movimentos circulares, iniciando ao redor do mamilo e depois em direção à raiz da mama (próximo ao tórax), realizando em seguida uma pequena ordenha da aréola para que esta fique bem macia, o que facilita a pega para o bebê”, aconselhou a profissional. Vale destacar que esta massagem tem objetivo de deixar apenas a aréola mais macia para que o bebê possa abocanhar melhor, diferente do objetivo da massagem durante um ingurgitamento mamário.

Em caso de dúvidas, procure os profissionais de saúde no Banco de Leite Humano mais próximo de sua casa ou entre em contato com o SOS Amamentação pelo telefone 08000-26-8877.

Fonte: Fiocruz.br

Gostou? Comente, compartilhe!

Siga a gente nas redes sociais:

Instagram: @bbcorujaoficial

Fanpage: bbcoruja

Visite nosso site: http://www.lojabbcoruja.com.br

E até o próximo post!

Sem categoria

Muffin: uma receita deliciosa e saudável pra fazer com as crianças neste Carnaval

Que tal uma receita sem ovos e sem leite?

Super saudável e saborosa, uma ideia super fácil e gostosa pra você garantir a alegria das crianças neste feriado! Chame as crianças pra ajudar a preparar!

O que você vai precisar?

Banana madura, aliás se estiver bem madura melhor ainda, porque ela fica mais docinha e proporciona mais liga para a massa.

Aveia em flocos grossos ou lâminas

Pasta de amendoim, ou se você preferir pode substituir por pasta de: amêndoas, castanha de caju ou avelã.

Fermento em pó

Água

Gotas de chocolate ou chocolate picado

Agora a lista com as medidas pra 6 forminhas:

1 banana grande bem madura

1/4 xícara de pasta de amendoim

1/2 colher de chá de fermento químico em pó

1 xícara de água

1 xícara de aveia em flocos grossos

1/3 xícara de gotas de chocolate

Modo de fazer:

Em uma tigela amasse bem a banana com um garfo até ficar com consistência de purê.

Acrescente a pasta de amendoim, o fermento, a água e bata com um fouet até que fique bem homogêneo.

Depois é só acrescentar os flocos de aveia e as gotas de chocolate, misturando com carinho para incorporar a massa de maneira homogênea.

Reserve.

Pra você se inspirar:

Preaqueça o forno a temperatura de 180 graus.

Unte 6 cavidades de forma de muffins, distribua a massa e leve pra assar por aproximadamente 20 minutos, até que eles fiquem firmes.

Você pode usar a assadeira com as cavidades de forma ou a forminha de cupkace, hoje existem de vários materias, inclusive de teflon e de silicone que facilita na hora de desenformar.

Espere esfriar para desenformar.

Salpique confetes coloridos pra ficar a cara do Carnaval!

Depois conta pra gente o que achou!!!

Um beijo pra vocês e até o próximo post!

Cintia/lojabbcoruja

Vem pro site: http://www.lojabbcoruja.com.br

Instagram: @bbcorujaoficial

Facebook: bbcoruja

Sem categoria

Ideias e Cuidados pra curtir o Carnaval com as crianças

Ei, meninas e meninos! Estamos em fevereiro de 2022 e faltam apenas alguns dias para o carnaval! Para as crianças, esse feriado é um momento de muita diversão com a família e os amigos, e também uma data em que podem explorar a criatividade e cultura.

Hoje vamos trazer dicas de como aproveitar muito a folia dentro e fora de casa!

CARNAVAL CASEIRO

Para àqueles que vão passar o Carnaval em casa é possível preparar diversas atividades e brincadeiras econômicas e fáceis para entreter adultos e crianças: 

  • Caça ao tesouro:

A caça ao tesouro é uma brincadeira em que os participantes devem desvendar pistas para encontrar um prêmio. O tesouro pode ser diversas coisas, como uma guloseima ou um brinquedo que as crianças gostem, lembre de usar a criatividade e enfeitar o tesouro para instigar os pequenos a procurarem. Você pode fazer um mapa e deixar pistas de papel pela casa e podem até fantasiar de pirata!

  • Esconde-esconde

Uma das minhas brincadeiras preferidas quando era criança. O esconde-esconde é fácil e divertido, encontre um lugar secreto enquanto o pega conta o tempo combinado previamente. Ele tem que permanecer de olhos fechados no ponto de partida.

Neste caso quanto mais participantes e mais espaço melhor!

  • Guerra de balões de água

Encha balões (bexigas) de festa com água e separe os participantes em times. Cada time de um lado, marquem uma faixa ou alguma regra simples e comecem a jogar os balões! É uma brincadeira ótima pra se refrescar nesse calor e ter boas risadas, mas precisa ser no quintal 🙂

  • Oficina de máscaras

Com penas, antejoulas, glitter, lápis de cor, cartolinas, pápeis…todos podem criar uma fantasia super estilosa e barata para passar o carnaval. Separem os materias e um ambiente para criar sua arte e usar a criatividade.

*E lembrem-se de colocar músicas animadas,afinal não dá pra ter carnaval sem música!

CARNAVAL NA RUA

O Carnaval na rua é muito divertido, mas é importante tomar algumas medidas para manter a segurança e o bem-estar dos pais e das crianças durante o evento.

  • Procure bloquinhos com mais famílias e crianças 

É importante observar os públicos dos bloquinhos, já que aqueles com mais crianças, pais e mães serão mais tranquilos para aproveitar, com músicas e diversão pra agradar as crianças.

  • Levar garrafas de água

Nesse calor é importante manter todos hidratados enquanto se divertem na folia, evitam insolação e cansaço excessivo.

  • Protetor solar e bónes

Lembrem-se de proteger as crianças do sol, evitando insolação e desfrutando mais da festividade, além de garantir o protetor solar antes de sair de casa.

  • Atenção as roupas

Procure usar roupas confortáveis e leves e sapatos como tênis macios que permitam horas de folia!

  • Alimentação

Mantenha-se atento para que as crianças possam correr, pular, dançar, mas também se alimentar regularmente com alimentos leves.

É isso pessoal! Alegria, alegria! Espero que tenha ajudado vocês a aproveitar muito o Carnaval com as crianças, boa folia!

Camila/equipe lojabbcoruja

Vem pro site:

http://www.lojabbcoruja.com.br

Nos acompanhe nas redes sociais:

Instagram: @bbcorujaoficial

Facebook: bbcoruja