Blog

Sem categoria

Quais roupas o bebê mais usa?

Se você já é mamãe ou papai, com certeza tem uma peça favorita aí no guarda roupa do bebê!

Mas qual é a peça que a gente mais usa?

Pros papais de primeira viagem chegam tantas informações que consequentemente surgem muitas dúvidas também, então a gente resolveu falar um pouco aqui quais são as peças que os bebês mais usam, pra otimizar o seu tempo e dinheiro, então vem ver!

A peça mais usada no guarda roupa do bebê, sem dúvida é o body!

Tanto manga curta como manga longa, o body é uma peça essencial, por ser prática, fácil de vestir e de realizar as trocas de fraldas, com várias opções de preços e cores e estampas!

O body é uma peça que pode ser usada sozinha, ou com calça, bermuda, macacão… ou seja, tem muitas possibilidades.

Lembre-se sempre que por ser uma peça essencial e que fica em contato direto sob a pele do bebê, é importante que seja em algodão, pra não causar alergias e permitir que a pele do bebê respire.

Nós temos no mercado, atualmente, vários modelinhos de body, body cavado, body manga curta, body manga longa, o que é bem legal porque você tem opções que pode usar em todas as estações do ano, tanto como a peça principal do look ou sob a roupa, como um macacão. Além disso, temos várias opções de body liso com cores diferentes, que além de lindas, podem ser usadas tanto pro menino quanto pra menina!

Em segundo lugar, a peça mais usada no bebê são as calças chamadas de mijão. São calças com e sem pezinho, em materias também diversos, como malha, plush entre outros. Temos das calças mais simples até as mais sofisticadas, mas o mais importante é que compõe o look junto com os bodys e você também pode optar por bermudinhas nas estações mais quentes.

Os bebês nos primeiros dias e principalmente nos primeiros meses de vida, costumas sujar bastante as roupinhas, e demandam várias trocas de roupa por vazamento das fraldas, então, procure ter sempre peças mais leves de algodão, pra lavar e secar rapidinho e não pesar no seu bolso.

Em terceiro lugar os macacões, tanto curtos, mais usados nas estações mais quentes, quantoos longos, mais usados no inverno, com vários modelos e materiais na sua composição, como algodão, plush, soft, malha, elastano, entre outros.

Nós temos um texto aqui no blog falando especialmente sobre o material de confeccção das roupinha dos bebês, vale a pena conferir.

Outra coisa legal dos macacões é se atentar para um detalhe, tenha sempre macacões com pezinho e sem pezinho. O macacão sem pezinho é tem a opção de ser usado quando você quer aquecer o bebe sem usar meias, ou até pode usar uma meia por baixo do macacão, e nas estações mais frias é bem legal. Mas o macacão sem pezinho tem a vantagem de durar mais tempo, porque mesmo que o bebê cresça, o macacão continua sendo usado por mais um tempo,

Uma coisa bem legal dos bodies e dos macacões é que eles ajudam muito na hora de pegar o bebê, porque eles não sobem quando você pega o bebê e assim ele não fica com as costinhas de fora, e não descobrem na hora de dormir.

Outra peça essencial são as meias, tenha algumas, principalmente nas estações mais frias, e o bebê bem nos primeiros dias de vida, quando perde calor de maneira mais fácil.

Os babadores também são itens muito usados, por que no lugar de ficar trocando a roupa do bebê toda hora, você troca o babador e pronto, ele está sequinho!

Bom, espero que você tenha gostado das dicas, fica ligadinha aqui que todos os dias vou trazer conteúdo pra você!

Confere as fofuras no nosso site, onde temos roupinhas e itens de enxoval com qualidade e excelentes condições de compra, e estamos a disposição sempre com o maior carinho pra te atender e ajudar a cuidar do seu amor.

Beijo e até mais,

Cintia/bbcoruja

http://www.lojabbcoruja.com.br

@bbcorujaoficial

Sem categoria

Vale a pena comprar roupinhas tamanho RN?

Vamos começar a responder algumas perguntas comuns aqui sobre os cuidados com o bebê e espero que você aproveite bastante!

Sobre esta dúvida, que é bastante comum:

Escuta a voz da experiência: apesar de muita gente considerar que é desperdício de dinheiro, é recomendável você ter algumas peças tamanh RN no enxoval do bebê.

Sabe porquê?

Porque o bebê nasce em media com peso entre 2,8 a 3,6 kg, já que a maioria dos bebes nasce dentro desta faixa e o tamanho RN veste ate 4 kg aproximadamente, com altura entre 50 e 55cm e assim a roupinha tamanho RN fica mais confortável por não ficar sobrando no bebê.

Ele vai usar aproximadamente durante 1 mês, mas no penúltimo e último ultrassom o médico vai conseguir estimar o peso dele e assim você terá uma ideia do peso do seu bebê ao nascimento, em torno de 40 semanas de gestação.

Sempre considere que ele pode vir ao mundo um pouco antes da hora, já que isto tem acontecido com frequencia.

Se você estiver esperando gêmeos ou se o bebê nascer prematuro será importante ter peças tamanho RN porque habitualmente eles tem menor peso ao nascimento e as roupas RN vestem o bebe com mais facilidade e conforto.

Um beijo e até o próximo post!

Cintia/bbcoruja

Aproveita pra conferir as roupinhas do site mais fofo do Brasil:

http://www.lojabbcoruja.com.br

Compartilha este post, curte e corre pro site!

Sem categoria

5 dicas testadas e aprovadas pra tirar manchas das roupas dos bebês

A gente passa um perrengue com as manchas nas roupinhas dos nossos bebês, não é mesmo?!

Quem nunca viu aquela roupa novinha, linda, ganhada de presente…manchada!

E tem mancha de vitamina, de cocô, de comida, de fruta, de leite……

Mas como tirar as manchas sem estragar a roupa, e de maneira prática?

Bora lá pra nossas dicas:

  1. Se a mancha foi causada por leite materno, olha que dica prática: basta você polvilhar um pouco de bicarbonato de sódio sobre a mancha e depois despejar um pouco de água com gás! Vai formar uma espuminha, e você deve deixar por 1 minutinho apenas! Em seguida, use uma escova de dentes pra esfregar sem estragar a roupinha e coloque na máquina pra lavar ou esfregue a mão mesmo!

2. Sujou a roupinha de cocô? se ainda não aconteceu, é muito provável que aconteça, não é?! Bom, neste caso, você deve tirar o excesso e levar pro tanque antes que seque! Aí você precisa lavar a região com sabão de côco e pode colocar um pouquinho de vinagre branco também! depois deixe de molho por cerca de 30 minutos, esfregue a mão ou a máquina e pronto!

3. As manchas causadas por alimentos, mais comuns após os 8 meses de idade do bebê, você resolve assim: deixe a roupinha de molho em água morna com sabão neutro. Coloque um pouquinho de vinagre ou limão sobre a mancha e esfregue com uma escova macia, depois lave como de costume.

4. Pra tirar as manchas de frutas do babador, por exemplo, é fácil! Deixe o babador de molho com detergente neutro sobre a mancha, por cerca de 15 minutos, coloque pra lavar a maquina ou esfregue a mão! Prontinho!

5. A roupinha mofou? pode acontecer, né, principalmente quando a gente ganha a roupinha ou guarda de um filho mais velho! Mas é fácil resolver! Coloque uma misturinha de suco de limão e sal sobre a mancha por alguns minutos, depois lave a roupa normalmente.

Lembrando de uma coisa importante: todo sabão usado na lavagem das roupas do bebê tem que ser sabão neutro ou sabão próprio pros bebês!

Espero que tenha gostado das dicas, experimenta e me conta como foi por aí!

beijão, Cintia/bbcoruja

Aproveita pra conhecer nossas fofuras de roupas, enxoval e babador no site:

http://www.lojabbcoruja.com.br

Sem categoria

Guia de medidas pra escolher o sapatinho pro bebê!

Guia de Tamanhos do bbcoruja

Pra você acertar na compra do sapatinho!

A escolha do sapatinho do bebê deve ser feita com muito carinho e cuidado. Como eles crescem muito, principalmente no primeiro ano de vida, é importante que você fique atento a duas medidas simples, mas importantes, pro sapatinho ficar bem confortável no pezinho do seu amor.

Como cada bebê é único e tem características muito particulares, é importante você saber a medida do solado do pezinho pra fazer a escolha certa. Se for presentear, sempre opte por um tamanho um pouco maior do que a idade do bebê em meses. Isso porque tem bebê que é mais gordinho, outros mais compridos, então não existe um tamanho padrão pros bebês até 1 ano. O que é ideal é ter a idade em meses e o tamanho do solado do pezinho, medido em centímetros.

A indústria usa uma tabela padrão em conformidade com as normas da ABNT, mas a gente sabe que cada bebê é único, por isso o ideal é ter também a medida do solado. Por isto, temos aqui esta tabela com a idade em meses, o tamanho do solado em centímetros e a correspondência da indústria.

Olha só:

Tabela do tamanho dos sapatinhos em meses

TamanhoFormato PadrãoMedida
1300-02 meses9 cm
1402-04 meses9,5 cm
1504-06 meses10 cm
1606-07 meses10,7 cm
1707-08 meses11,3 cm
1808-09 meses12 cm
1909-10 meses12,7 cm
2010-12 meses13,3 cm
2113-15 meses14 cm

E pra medir o pezinho do bebê?

O jeito mais simples é usar uma fita métrica ou régua mesmo, em centímetros. Posicione conforme a figura abaixo, sobre o pezinho ou paralelo a ele. Voceê também pode fazer a medida do solado de um sapatinho que esteja servindo bem.

Pra não ficar apertado ou muito justo, é legal você comprar uma numeração com 1 cm a mais que a medida do pezinho do bebê!

A

Agora é só ir no site do bbcoruja conferir os sapatinhos mais fofos pro seu bebê!

Um mais lindo que o outro, trazemos os sapatinhos mais confortáveis, vem ver:

http://www.lojabbcoruja.com.br

Instagram: @bbcorujaoficial

Sem categoria

Porque usar o absorvente ecológico pra seios?

Você conhece o absorvente ecológico pra seios?

Se você está amamentando, provavelmente já passou por aquela situação que o leite vaza no sutiã e molha a roupa toda!

Se ainda não passou por isto, pode se preparar porque vai acontecer, faz parte do processo da amamentação. E é mais provável que isto aconteça, nos seguintes momentos: quando você já amamentou a algum tempo, normalmente a mais de 2 horas, então o seio já teve tempo para encher novamente, e também quando você está afastada do bebê e pensa nele…é certo!

E esse gotejamento acontece também quando estamos amamentando, o outro seio começa a gotejar…e molha a roupa!

Pra evitar isto, o mais comum é usarmos um absorvente pro seio, e nas farmácias eles são vendidos com um valor relativamente alto, e são mais um descarte pra natureza. Pra minimizar este descarte e ainda economizar o seu bolso, trouxemos os absorventes pra seio ecológicos.

Além disso, muitas mamães sentem desconforto ao utilizar o absorvente descartável, porque eles são produzidos em material sintético, que pode causar alergia e tem o toque menos delicado.

São discos confeccionados em material impermeável e com forro em tecido de algodão, que podem ser lavados e reutilizados pelo tempo que você estiver amamentando e depois poderão ser utilizados como disco para retirar a maquiagem, por exemplo!

É interessante você ter pelo menos 3 ou 4 pares de discos, pra ir trocando durante o dia e dar tempo de lavar e secar. E a recomendação dos especialistas é de trocar a cada 3 horas no máximo ou sempre que estiver bem úmido.

Pra lavar, você pode deixar de molho alguns minutinhos em água com sabão neutro, e aí apertar com as mãos, enxaguar bem e pronto! Aí é só deixar secar em local arejado.

Outras vantagens do absorvente ecológico é que além de econômicos eles são mais saudáveis do que os absorventes descartáveis, pois deixam a pele “respirar”, e o material proporciona proteção e absorção com toque suave. Além de muito mais confortáveis, eles adaptam-se discretamente e de forma natural ao contorno dos seios, e devem ser utilizados sob o sutiã.

A circunferência é de aproximadamente 11 cm.

Composição: tecido impermeável, pull; atoalhado ou melton; malha de algodão

Sobre as trocas: você pode trocar os absorventes conforme sua necessidade. O tempo entre as trocas é único para cada mamãe e vai depender da oferta de leite da mamãe e também da demanda do bebê, mas em média você vai precisar de 3 a 4 pares do absorvente por dia.

Ao reduzir o descarte de lixo no meio ambiente, a gente ajuda o planeta e pode fazer um pouquinho em busca de um futuro saudável pras próximas gerações.

Esse cuidado é amor compartilhado, por você, pelo seu bebê e por todo o planeta.

Estamos juntos,

um beijo,

Cintia/bbcoruja

Sem categoria

Como é o cocô do bebê?

Fotos de Fralda, imagem para Fralda ✓ Melhores imagens | Depositphotos®

Assunto que gera muitas dúvidas entre as mamães, principalmente as de primeira viagem!

Isso, porque o cocô do bebê é bem diferente, e varia muito, vem saber porquê!

As primeiras fezes do recém nascido chamam-se mecônio. Costumam ser bem escuras, viscosas e sem cheiro e são formadas pelo acumulo de líquidos que o bebê engole ainda na barriga da mãe. É esperado que a criança elimine o mecônio de 3 a 5 dias após o parto.

O mecônio é composto de células mortas e secreções estomacais, enquanto as fezes são formadas por restos alimentares não absorvidos pelo organismo.

O mecônio é uma secreção verde-escura, parecido com piche. No corpo do feto, fica dentro da parede do intestino. Ele existe para impedir que as paredes do intestino fiquem vazias e se grudem. A natureza é perfeita!

Então vamos as dúvidas mais frequentes sobre este assunto!

Como é o aspecto normal do cocô do recém nascido?

Nos primeiros 4 dias de vida, é pastoso e verde-escuro. Trata-se do mecônio. A partir do 5º dia de vida, o recem nascido já evacua fezes. São amareladas ou esverdeadas e bem pastosas.

Quantas vezes por dia o bebê evacua?

No 1º mes de vida, o bebê normalmente faz cocô após cada mamada. É o reflexo gastrocólico, que o estimula a evacuar toda vez que está com a barriga cheia. Assim, a cada 2 ou 3 horas, a fralda em geral fica suja. A partir do 2º mês, essa frequência se espaça.

É normal o bebê fazer cocô amarelo ou verde?

Sim, é normal em bebês que se alimentam exclusivamente de leite. Durante o processo digestivo e intestinal, o leite oxida e fica amarelado. Quando o trânsito do leite pelo organismo for muito rápido, o cocô pode se tornar verde, sem que isso indique algum sinal de anormalidade. As fezes só ficarão amarronzadas a partir de 1 ano e meio de vida, em média.

É comum o bebê ficar sem fazer cocô?

Até os 3 meses de vida, é normal uma constipação de 2 ou 3 dias. A partir do 4º mês, cada bebê criará um hábito intestinal que poderá se caracterizar por defecar todos os dias, mais de 1 x por dia ou dia sim, dia não, sem que essa diferença de frequência signifique algum problema de saúde.

Como saber se o bebê está com diarreia?

A diarreia se caracteriza pelas fezes líquidas, feitas entre 5 e 10 vezes num mesmo dia. Mas esse parâmetro só vale para bebês com mais de 1 mês. Os recem nascidos fazem cocô líquido a cada 2 ou 3 horas. Se a frequencia estiver maior, converse com o pediatra.

É normal o bebê evacuar toda vez que mama?

Isso vai depender do tipo de alimentação que ele recebe. se for um bebê alimentado somente por leite materno, é normal. Conforme ele for crescendo e alimentação mudar, a frequência tende a diminuir.

Porque o bebê, as vezes, fica sem fazer cocô?

Bebês alimentados exclusivamente do leite materno podem ficar até 2 dias sem evacuar, pois, como esse alimento é completo, o organismo aproveita tudo o que é ingerido, não gerando resíduos. As crianças alimentadas por fórmulas podem ficar com o intestino preso e ressecados por isso acabam não evacuando todos os dias.

Como é o cocô do bebê que só ingere leite materno?

É líquido ou semi liquido, e a cor pode variar de amarelo-ouro ao verde-escuro. Essas fezes podem conter alguns grumos, ou seja, pequenas partes mais consistentes.

E o cocô do bebê que toma fórmula?

As fezes são mais consistentes, ou pastosas, e o cheiro mais parecido com as dos adultos. Após o 6º mês de vida, quando geralmente a criança passa a comer outros alimentos, como frutas e papinhas salgadas, os excrementos começam a ficar mais consistentes.

Qual a melhor forma de higienizar após a evacuação?

O mais indicado é limpar a criança com água e sabonete neutro. Água morna e algodão também podem ser utilizados. Não é preciso dar banho toda vez que o bebê fizer cocô, mas é importante lavar o bumbum, pois isso evita acúmulo de resíduos e assaduras. Em situações nas quais não é possível higienizar dessa forma, use lenços umedecidos hipoalergênicos.

Acho que é isso! Espero que ajude você a entender melhor o que acontece com seu bebê!

De qualquer forma, se ainda permanecer dúvida ou achar que há algo errado com seu bebê, consulte sempre o pediatra!

beijos e até breve!

Cintia/bbcoruja

Ahh, já conhece nosso site? vem ver: http://www.lojabbcoruja.com.br

E segue a gente lá no instagram: @bbcorujaoficial

Nosso canal no telegram: bbcorujaoficial

Sem categoria

Banho de balde no bebê. O que você precisa saber!

Vamos começar da primeira dúvida mais comum das mamães e papais:

Para que serve o banho de balde no bebê?

O banho do bebê no balde é muito bem recomendado porque o bebê se sente confortável e feliz ao se lembrar de quando estava no útero da mãe. Isso porque no balde ele tem uma limitação de espaço e a água morninha, que remetem as condições que ele vivia no útero.

Por isso é uma ótima opção para dar o banho no bebê, pois além de permitir lavá-lo, o bebê fica muito mais calmo e relaxado por causa da forma arredondada do balde, que é muito parecida com a sensação de estar dentro da barriga da mãe.

E como é esse balde?

O balde, banheira shantala ou Tummy tub, como também pode ser chamado, deve ser transparente, de preferência, para que a mãe possa ver o bebê e o mais indicado é que se use baldes específicos pra este fim, ou seja, fabricados e comercializados como balde para banho de bebê. O balde pode ser comprado em lojas para bebês e o preço varia entre 60 e 150 reais, aproximadamente. A orientação de usar este balde específico é porque eles tem a base mais larga pra acomodar o bumbum e as perninhas do bebê, e tem as bordas mais arredondadas pra não haver risco de que o bebê se machuqye ao ser colocado ou retirado do balde. Além disso, ele deve ser fabricado com plastico atóxico.

E a partir de quando posso dar banho de balde no meu bebê?

O banho do bebê no balde pode ser feito logo após o bebê sair da maternidade, aproximadamente 6 horas após o nascimento, como orienta o Ministério da Saúde, e até quando os pais desejarem ou até deixar de ser confortável para o bebê. Normalmente até os 2 anos de idade. No entanto, a recomendação é de que você esteja seguro ao dar o primeiro banho, se possível conte com a orientação de alguém experiente ou um profissional de saúde se ainda tiver dúvidas, principalmente nos primeiros dias de vida, quando o bebê ainda não controla o pescoço e a cabeça e neste caso, você deverá sustentar a cabecinha do bebê com atenção e cuidado pra garantir a segurança dele durante todo o banho.

Quanto tempo pode durar o banho de balde?

O banho não deve durar mais do que 10 a 15 minutos para que o bebê não se sinta desconfortável e a temperatura da água esfrie e nunca se deve deixá-lo sozinho no balde porque ele pode-se levantar e cair ou adormecer e se afogar.

Como é o banho de balde?

Para dar banho no bebê no balde, primeiro deve-se encher o balde até metade da altura ou até à altura indicada pelo balde com água à temperatura de 36-37ºC. Depois deve-se sentar o bebê no balde, com as pernas e os braços encolhidos e dobrados, com a água ao nível dos ombros. A água não deve passar dos ombros do bebê e lembre-se de que quando colocar o bebe no balde a água vai subir, por isso coloque agua no balde realmente até a metade ou menos e verifique a quantidade ideal para o seu bebê.

Em caso de bebê recém-nascido, pode-se colocar uma fraldinha ou um cueiro leve em volta do bebê, como um charutinho, para ele ficar mais seguro e deve-se segurar em volta do pescoço porque o bebê ainda não sustenta a cabeça, sempre.

COMO DAR BANHO NO BEBÊ NO OFURÔ? - YouTube

Imagem da internet.

Se o bebê tiver cocô ou xixi, primeiro ele deve ser limpo e só depois colocado no balde.

Benefícios do banho do bebê no balde

Os benefícios do banho do bebê no balde incluem:

  • Acalma o bebê;
  • Diminui a agitação do bebê, podendo até adormecer;
  • Ativa a circulação do sangue do bebê;
  • Diminui as crises de cólicas do bebê;
  • Ajuda a eliminar as toxinas do organismo do bebê;
  • Estimula o desenvolvimento do sistema nervoso do bebê.

Por todos estes benefícios, o banho do bebê no balde é uma ótima opção em substituição ao banho comum. Quando o bebê é muito pequeno e ainda não consegue ficar sentado dentro da Shantala, a mãe pode pedir a ajuda do pai na hora do banho e, enquanto o pai segura o bebê, a mãe pode dar o banho.

Mas se você quiser usar o banho de balde só pra relaxar o bebê e aliviar as cólicas, tudo bem! Neste caso, não coloque nenhum produto na água!

6 dicas para dar um banho relaxante no bebê

  • O horário mais indicado para um banho relaxante é o fim da tarde.
  • 1) Deixe tudo pronto antes. …
  • 2) Deixe o bebê enrolado em uma fralda de pano. …
  • 3) Faça massagens antes do banho. …
  • 4) Atenção à temperatura da água. ..
  • 6) Tente manter o corpinho dele embaixo d’água.

E como dar o banho de higiene no balde?

Na hora da higiene, se o bebê estiver enroladinho, retire o cueiro lentamente e vá passando xampu e o sabonete, retirando com cuidado com a água.

Segue o link de um vídeo do Ministerio da Saude mostrando o banho do bebê no balde.

Espero que tenham gostado do texto, foi feito com muito carinho, especialmente pra bebê Maria, que ainda vai nascer!

Beijos e até o próximo video!

Cintia/bbcoruja

Aproveita pra conhecer nosso site: http://www.lojabbcoruja.com.br

Sem categoria

Você sabia?

Estamos começando uma série de textos sobre curiosidades e dúvidas relacionadas a gestação e a maternidade! Adorooo!!

Aqui então temos o primeiro texto do Você sabia e a dúvida é: o bebê recém nascido sente o cheiro da mãe?

Resultado de imagem para bebe olfato imagem gratis

Que a natureza é perfeita a gente já sabe, não é?!

E assim, o bebê recém nascido já tem o olfato bem desenvolvido quando nasce, e isso acontece por questão de sobrevivência!

Os bebês nascem com esse sentido muito mais desenvolvido do que terão na fase adulta porque precisam se assegurar do alimento.

Vários estudos científicos comprovam que os bebes reconhecem o cheiro da mãe, veja este:

“Um estudo realizado por cientistas do ‘Wellcome Trust Sanger Institute’ do Reino Unido analisou o instinto de mamar nos bebês. A pesquisa concluiu que os bebês se expõem ao cheiro da mãe desde o útero materno já que o líquido amniótico tem cheiro, e posteriormente quando nascem eles se lembram desse aroma que desperta seu instinto para a sucção e para amamentar.”

Já parou pra pensar no que o sentido do olfato representa para o seu bebê?

O cheiro da mãe tranquiliza o bebe, que sabe que estará seguro e provido de alimento.

O cheiro da mãe é o único que nos acompanha desde antes do nascimento e pra vida toda.

O nariz do bebê começa a se formar pela 7ª semana de gravidez e a cavidade nasal dos fetos funciona já a partir da 9ª semana. Na 13ª, os nervos olfativos, que vão resultar no nariz, estão conectados ao cérebro.

Ainda na barriga, a criança usa o nariz, tanto para treinar a respiração quanto para detectar cheiros, inclusive do líquido amniótico. Pesquisas apontam que o líquido absorve parte do gosto e do cheiro dos alimentos que a mãe ingere. O mesmo também ocorre com o leite materno, então é possível estabelecer uma familiaridade entre ambos os cheiros, o que vai ser percebido pelo bebê. Assim dá para entender porque o bebê vira a cabeça quando está no colo da mãe, “guiado” pelo cheiro do leite.

Os estudos mostram que o olfato é processado no cérebro na mesma parte que controla a memória. Não é por menos que os odores podem se associar diretamente com memórias da infância e pesquisadores já provaram que as lembranças associadas com cheiros são mais intensas. 

Quando nasce, o recém-nascido é capaz de reconhecer a mãe apenas pelo seu cheiro e tal reconhecimento provoca a sensação de segurança. O conforto colabora na produção da ocitocina, o chamado “hormônio do amor”, que favorece a criação do vínculo afetivo e também colabora no sentimento de bem-estar.

O sentimento de segurança é fundamental na rotina de uma criança. Ele vai fazer com que o bebê se sinta tranquilo no lugar que conhece.

Da mesma forma, o olfato tem um papel importante na representação de segurança para o bebê, desde os primeiros meses de vida. É através do cheiro que ele vai identificar onde e com quem está.

Na hora de dormir isso muitas vezes é determinante, uma vez que a criança sente segurança perto da mãe. Assim, por mais confortável que esteja quando for colocada no berço, a falta do cheirinho da mamãe pode resultar em choro e relutância para pegar no sono.

Uma alternativa muito usada para dar a sensação de segurança para a criança, especialmente para dormir, é o objeto de transição. Pode ser uma naninha, um brinquedo de pano. Tal objeto familiar para o bebê vai proporcionar o conforto emocional que ele precisa para relaxar tranquilo, em grande parte pelo seu odor e toda a relação entre as memórias e o olfato que já comentamos.

Inclusive é por isso que as crianças não gostam quando as naninhas são lavadas, pois assim elas “perdem” o cheiro e, mesmo sem querer, tiramos o seu poder de segurança! Para os pequenos, não é um pano sujo, é um mundo seguro! Assim, tais objetos de transição vão representar a figura da mãe na mente da criança. Eles também são úteis quando por algum motivo o bebê não dorme em casa, como em situações de viagem ou passeio. Vão remeter a familiaridade necessária para a segurança e tranquilidade, ainda mais se a mãe não estiver junta.

Você viu como o olfato é importante para o seu filho? Ele ajuda na formação do vínculo entre pais e filhos, além de participar da construção de memórias. Lembranças daquelas que a gente sente um cheiro, fecha os olhos e consegue ver toda uma cena, como se fosse um filme. O cheiro de bolo, por exemplo, pode remeter para a cozinha da casa da avó, as tardes de sábado ou o chá em família. O perfume da mãe que lembra imediatamente dos abraços intermináveis e das sonecas no sofá.

Com certeza você também tem as suas memórias de infância ligadas ao olfato. Agora, é hora de construir as do seu filho, com muito amor!

Usamos várias fontes pra trazer este conteúdo pra você e as que mais gostamos deixamos aqui: jolimome.com.br/blog e guiainfantil.

Beijo no coração e até o próximo post!

Cintia/bbcoruja

Sem categoria

Você precisa saber o que é a Exterogestação

Bom, eu digo que você precisa entender sobre a Exterogestação! Sim, porque este conhecimento vai ajudar você e o seu bebê desde o primeiro olhar! E esta descoberta de ser mãe e ser um bebê aqui do lado de fora será muito mais suave e prazeirosa!

Aliás, esta pesquisa sobre a exterogestação, que eu trouxe pra você, começou porque a queixa de quase 100% das mamães e papais é de que os bebês choram muito nos primeiros dias ou meses de vida! E porque isto acontece?!

Então vem cá:

A teoria da Exterogestação não é nova, e apesar de ter respaldo científico, ainda é pouco difundida aqui no Brasil.

Ela surgiu a partir dos estudos de um antropólogo, chamado Ashley Montagu, que a partir de suas pesquisas sobre desenvolvimento fetal em diversas espécies de animais, observou que o bebê humano precisaria de mais tempo dentro do útero pra se desenvolver.

Isso mesmo, segundo os estudos do Dr. Montagu, a gestação humana deveria durar 12 meses, mas a natureza teve que se adaptar e assim o bebê acaba nascendo prematuramente, porque a mulher não conseguiria parir um bebê com 48 semanas, já que o tamanho da cabeça do bebê não passaria pelo canal vaginal durante a dilatação do canal.

Então, a teoria da exterogestação determina que a gestação deve durar 3 meses ou mais, fora do útero; assim, a gestação duraria 4 trimestres, sendo que o quarto trimestre fora do útero. Dessa forma, a exterogestação propõe que o bebê continue sendo “gestado” fora do útero por 100 dias, até completar seu desenvolvimento.

E você já reparou que os primeiros 3 meses de vida do bebê são realmente desafiadores? muitos tem cólica instestinal, já que o seu aparelho digestivo e intestino ainda não estão bem desenvolvidos; eles não enxergam com nitidez; se assustam com sons diferentes; ainda estão desenvolvendo todos os sistemas do corpo, como o respiratório e neurológico.

E como era dentro do útero?

Dentro do útero o bebê se desenvolveu em posição fetal, em temperatura ideal, envolvido pela placenta e líquido amniótico, com som constante e típico e uma agitação leve, além de estar cada vez mais apertadinho.

Assim, a exterogestação defende que os pais devem tentar recriar o ambiente uterino após o parto, para que o bebê continue seu desenvolvimento com conforto e segurança. Esta transição suave para a vida extra uterina faz todo sentido. Se pensarmos que dentro do útero o bebê tinha tudo o que precisava, e que aquele era o ambiente em que ele se desenvolveu e é o que ele conhece. E que continuamente, ele tinha alimento, ou seja, não sentia fome ou sede; se mantinha quente e limpo; não ouvia sons fortes, mas um som que mantinha constante vibração e ritmo; ou não tinha acesso a uma luz forte ou clara; e estava apertadinho em contato com a mãe.

E depois do nascimento, tudo isto cessa! O bebê tem contato com uma luz branca e forte, sente frio, fome, precisa lidar com a sucção e engolir e respirar, fica sujo com as fezes e a urina, tem medo, escuta barulhos diferentes e não fica o tempo todo com a mãe.

E como ele se comunica então? com o choro!!!

Assim ele consegue expressar que há algo incomodando, e os adultos podem vir ao seu socorro e assim, garantir sua sobrevivência e conforto. Por isso a teoria da exterogestação surgiu e nós queremos divulgá-la, pra que esta transição da vida intra uterina para o ambiente externo seja o mais suave possível, já que na realidade ela é bem estressante para o bebê e consequentemente para a mãe.

A exterogestação quer então uma transição suave, assim:

  • reduzir o estresse
  • aliviar as cólicas
  • reforçar o laço entre pais e filhos desde o nascimento
  • fornecer meios para um desenvolvimento físico e psicológico positivos ao longo da vida

Como então na prática a gente pode recriar este ambiente intrauterino para o bebê?

Um pediatra americano, Dr. Harvey Karp é bem conhecido lá fora por defender algumas técnicas e já temos um post aqui no blog falando detalhadamente sobre isto, o nome do post é “Bebê mais feliz do pedaço”. Vale a pena você ler.

Mas vamos a dicas simples aqui:

  • procure deixar a iluminação do quarto ou local onde o bebê fica a maior parte do tempo mais suave, com uma leve penumbra. Você pode fechar um pouco a cortina durante o dia, e deixar apenas um pouco de luz entrar.
  • ruídos: procure proporcionar um ambiente sereno, calmo, fale em tom suave e peça as pessoas na casa para equilibrarem os sons para que o bebê possa dormir tranquilo e não se assuste. Já temos tantos barulhos externos que não podemos controlar, não é?! Outra dica é usar sons parecidos com os sons que o bebê ouvia dentro do útero, se o bebê estiver irritado, o som de um secador de cabelo é interessante, mas hoje em dia você encontra aplicativos com sons que imitam os barulho do útero.
  • Sono: pra um sono favorável o bebê precisa de ambiente tranquilo, pouca luz e a presença dos pais por perto, além de estar alimentado e limpo.
  • aleitamento: o aleitamento em livre demanda é o ideal para o bebê. Primeiro porque cada bebê tem um apetite e se sentirá saciado por mais ou menos tempo, e dentro do útero, ele tinha suprimento contínuo de nutrientes durante o dia e a noite. Além disso, o aleitamento em livre demanda simula a conexão do bebê com a mãe por meio do cordão umbilical. Sabemos que não é fácil, e por isso, a mamãe precisa ter uma rede de apoio pra ajudá-la e pra cuidar dela, já que ela estará disponível para o bebê durante todo o tempo. Uma rede de apoio deixará a mamãe mais tranquila, e assim mais segura e forte pra se dedicar ao bebê.
  • toque: o contato pele a pele é muito importante desde o primeiro momento , pois ele regula o ritmo cardíaco e a respiração, mantem a temperatura do bebê ideal. E este contato pele a pele desde a sala de parto estimula os hormônios que encorajam o recém nascido a buscar a mama e sugar o mamilo. Isto também estimula a produção e descida de leite da mãe.
  • transporte: se puder, deixe o bebê sempre coladinho com você ou com o papai, ou com algum adulto de confiança da sua rede de apoio. É bem interessante você utilizar um sling e a técnica do charutinho. Não dê ouvidos a frases como: seu bebê vai ficar manhoso.
  • banho: os bebês amam o banho de balde, com agua morninha. Aprenda como dar o banho antes do bebê nascer, eles se sentem como se estivessem dentro do útero no balde.

Acho que é isto!

Quero muito que você e seu bebê se sintonizem com o maior amor e o maior prazer do mundo desde o nascimento!

Beijos e até o próximo post!

Cintia/ bbcoruja

http://www.lojabbcoruja.com.br

Instagram: bbcorujaoficial

Sem categoria

Como escolher o tecido certo para as roupinhas do bebê

Suedine, algodão, malha PV ou malha fria, plush, algodão e poliester, algodão e elastano, soft, são muitos tipos de tecidos diferentes!

E a gente deve se preocupar com o tipo de tecido das roupinhas e enxoval do bebê?

Claro que sim! E porquê?

A pele do bebê é muito mais sensível do que a pele da criança e do adulto, isto porque eles tiveram menos contato com o meio exterior, e são mais propensos a alergias, desenvolvendo as dermatites de contato, por exemplo.

Como a gente quer proteger nossos babies, vamos aqui aprender um pouquinho sobre os tipos de tecidos ideais e os que não são aconselhados para escolha das roupinhas e do enxoval do bebê:

Os tipos de tecido recomendados:

Os tecidos 100% algodão são os mais indicados porque eles são antialérgicos, permitindo que a pele do bebê transpire sem reter calor e umidade. Além disso, é um material fácil de lavar e secam super rápido! Os tecidos suedine, tricoline, malha PV e malha fria são 100% algodão.

Os tecidos de algodão e poliéster podem ser usados pelos bebê, inclusive este tipo de material é muito utilizado na confecção porque torna a roupinha mais resistente pra ser usada no dia a dia. Assim como os tecidos de algodão e elastano também são muito usados, sem problemas para a pele do bebê!

O acetato, poliéster e polipropileno não são recomendados pra ficar em contato direto com a pele do bebê porque não absorvem bem a umidade do corpo, podendo haver acúmulo de resíduos na pele.

Os tecidos com a trama mais felpuda como a lã, soft e plush devem ser usados sempre com um tecido de algodão por baixo, pra não ficar em contato direto com a pele, uma boa dica é usar um body em malha de algodão.

Dicas:

  • prefira sempre as roupinhas mais confortáveis, que permitam os movimentos dos bebês bem livres, sem apertar.
  • as peças sem muitos adereços, como fitas, pérolas, e outros itens que não são lisos ou podem provocar acidentes devem ser evitados, deixe para usar em um momento especial como um batizado, e depois do momento, troque a roupinha.
  • peças de vestuário que são mais práticas pra hora de trocar as fraldas, sempre são a melhor opção, porque a gente facilitam o dia a dia e permitem ganhar tempo.
  • tenha sempre uma peça a mais de roupa na bolsa do bebê pro caso de vazar o xixi ou cocô ou sujar a roupinha por algum motivo.

E aí?!

Gostou das dicas?

Escrevi com muito carinho pra você!

Se tiver alguma dúvida me pergunta aqui!

E aproveita pra conhecer o site mais fofo do Brasil, com as roupinhas e enxoval do tecido ideal pro seu bebê!

http://www.lojabbcoruja.com.br

beijão e até breve!

Cintia/bbcoruja